Ministro da Informação do Egito renuncia

O ministro da Informação do Egito, Anas Ahmad Nabih, apresentou sua renúncia ao cargo, que foi aceita pelo governo, informou a emissora de televisão estatal neste sábado. De acordo com a emissora, Nabih havia pedido demissão na sexta-feira, após a renúncia do presidente Hosni Mubarak, anunciada após 18 dias de um levante popular contra o governo.

AE, Agência Estado

12 de fevereiro de 2011 | 20h16

Mais cedo, a agência oficial de notícias Mena havia informado que Nabih, o ex-primeiro-ministro Ahmed Nazif e o ex-ministro do Interior Habib al-Adly haviam sido proibidos de deixar o país pela promotoria.

Grande parte da raiva dos manifestantes reunidos na praça Tahrir era dirigida a al-Adly e à força policial que ele supervisionava como ministro do Interior, acusada de tortura e extorsão contra dissidentes políticos.

O conselho supremo das Forças Armadas informou neste sábado que os atuais integrantes do governo permanecerão em seus cargos para que haja uma transição pacífica que leve a "uma autoridade civil eleita que construa um estado democrático livre", embora o comunicado não tenha estabelecido uma data para que isso aconteça.

De acordo com a Mena, o governo deve realizar no domingo sua primeira reunião desde a queda de Mubarak. O promotor chefe ordenou que o ministério de Relações Exteriores congele os bens de vários ex-ministros e do magnata do aço Ahmed Ezz, importante integrante do Partido Democrático Nacional (PDN), de Mubarak. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoministrorenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.