AFP PHOTO / VILLE DE NICE
AFP PHOTO / VILLE DE NICE

Ministro da Justiça da França confirma que todas as vítimas do atentado em Nice foram identificadas

Segundo a ministra da Saúde, 19 das 70 pessoas internadas permanecem em estado crítico; desde o início do ano, 14 ataques foram frustrados no país

O Estado de S.Paulo

19 Julho 2016 | 09h26

PARIS - O ministro da Justiça da França, Jean-Jacques Urvoas, afirmou nesta terça-feira, 19, que todos os mortos no atentado ocorrido em Nice, na Riviera Francesa, na quinta-feira, foram identificados, o que permitirá entregar os 84 corpos aos parentes.

Pouco antes, a ministra da Saúde, Marisol Touraine, havia afirmado que 19 das 70 pessoas que ainda estão internadas se encontram em estado crítico.

Urvoas afirmou que "a investigação progride a cada minuto" e, embora esteja evitando dar muitos detalhes, disse que um dos pontos que se tenta esclarecer é como o autor do massacre, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, pegou a pistola com a qual disparou contra a polícia antes de ser morto.

Além do atentado em Nice, o ministro da Justiça afirmou que a polícia e a Justiça trabalham de forma contínua, e disse que "a atividade é diária" contra as ameaças terroristas. Desde o início do ano, foram frustrados 14 atentados e 285 pessoas foram acusadas por envolvimento em redes de envio de combatentes à Síria.

Prisão. A polícia da França prendeu na madrugada de segunda-feira um homem que estava fichado pelos serviços secretos por radicalização islâmica, e encontrou explosivos em seu domicílio e uma foto em seu celular da bandeira do Estado Islâmico (EI), revelou a emissora Europe 1.

Questionado em uma entrevista pela prisão do homem de 23 anos, que trabalhava com veículos de turismo como chofer (VTC), Urvoas se negou a dar detalhes por considerar que não lhe compete interferir na investigação.

Na casa do suspeito, na cidade de Boissy-Saint-Léger, no leste de Paris, foram encontrados duas bananas de dinamite, cabos e detonadores. Elementos que estavam armazenados em condições perigosas, especialmente por conta do forte calor que fez nos últimos dias na região.

Policiais estavam atrás do homem pois pensavam tratar-se de um ladrão que se aproveitava da informação dos clientes que transportava para o aeroporto e roubava suas casas.

No entanto, as investigações mudaram de direção quando foi encontrada a bandeira do EI em seu celular, explosivos em sua casa e uma carteira de identidade roubada na quinta-feira. /EFE

Veja abaixo: Estado Islâmico reivindica ataque em Nice

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico França Nice Terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.