Yuriko Nakao/Reuters
Yuriko Nakao/Reuters

Ministro da Justiça do Japão renuncia após dizer que seu trabalho é fácil

Parlamento japonês considerou declarações de Minoru Yanagida desrespeito à Casa

Efe

22 de novembro de 2010 | 02h00

TÓQUIO - O ministro da Justiça do Japão, Minoru Yanagida, anunciou nesta segunda-feira, 22, (horário local) sua renúncia, após a repercussão causada por recentes comentários nos quais afirmava que seu trabalho era fácil, interpretados como uma falta de respeito à Dieta (nome do Parlamento japonês), informou a agência local Kyodo.

Yanagida, que estava no cargo desde setembro, comunicou sua decisão ao primeiro-ministro, Naoto Kan, antes que o opositor Partido Liberal-Democrata (PLD) apresentasse uma moção de censura contra ele e ameaçasse boicotar a aprovação do orçamento extra no Parlamento.

Há uma semana, Yanagida, de 56 anos, afirmou em discurso em sua circunscrição de Hiroshima (oeste do Japão) que ser ministro da Justiça do Japão "é fácil" porque só tinha que lembrar duas frases se o fizessem alguma pergunta na Dieta.

Segundo disse, essas duas frases eram "não devo fazer comentários em casos individuais" e "estou atuando de forma apropriada de acordo com a lei e com as provas".

Tudo o que sabemos sobre:
Japão, renúncia, ministro, Justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.