Ministro da Justiça dos EUA vai testemunhar sobre espionagem

O ministro da Justiça dos Estados Unidos, Alberto Gonzales, disse que dará um testemunho público no Senado sobre o programa de espionagem interna do governo Bush, face às críticas quanto à legalidade do empreendimento. Gonzales disse ter chegado a um acordo com o senador Arlen Specter, presidente do Comitê judiciário do Senado, para responder sobre as bases legais dos grampos criados dentro dos EYUA pela Agência de Segurança Nacional (NSA) sem autorização judicial. O ministro disse que não discutirá os aspectos operacionais do programa audiência, que deve ocorrer no próximo mês. Gonzales era advogado na Casa Branca quando Bush iniciou o programa, mas não quis dizer que conselhos deu sobre o lançamento do programa. O governo também não informou quantas pessoas estariam sendo visadas.Políticos e juristas questionam a legalidade do programa, cuja existência foi divulgada por The New York Times. A espionagem dentro dos EUA praticada pela NSA contorna um tribunal especial, criado em 1978 para aprovar ou rejeitar buscas e grampos em solo americano, contra suspeitos de terrorismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.