Ministro de Comércio de Israel diz que alertou comboio

O governo israelense advertiu ativistas favoráveis aos palestinos para que não organizassem um comboio levando ajuda humanitária à Faixa de Gaza, disse hoje o ministro de Comércio e Indústria de Israel, Binyamin Ben Eliezer. "Nós estávamos cientes do que poderia ocorrer. Nós os avisamos e dissemos a eles que tudo o que iriam fazer era provocação", afirmou Eliezer no intervalo das reuniões do Fórum Econômico Mundial, em Doha.

AE, Agência Estado

31 Maio 2010 | 12h15

"Eu lhes ofereci, pessoalmente, como ministro do Comércio, para levar à Gaza todos os suprimentos através de nós", afirmou. Mas "não houve ação, porque eles querem fazer um show, nada mais que isso".

O Exército israelense informou que há pelo menos dez mortes confirmadas, após um ataque dos militares israelenses a uma flotilha que levava auxílio à Faixa de Gaza, em águas internacionais. "Os resultados são desastrosos. Eu lamento muito as perdas, e cada gota de sangue vertida", disse o ministro. "Um grande número de (ativistas) estava com facas, alguns deles, sete, oito deles com pistolas. Então, não é tão simples."

Eliezer disse que "quando se trata de se defender, você terá que fazer tudo que puder". Os organizadores do comboio, porém, disseram que soldados israelenses começaram a disparar logo que eles chegaram ao convés de um navio da flotilha humanitária. O comboio tinha mais de 700 passageiros e pretendia levar 10 mil toneladas de suprimentos à Faixa de Gaza, que sofre com um bloqueio israelense desde 2007. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.