Ministro de Israel fala em expulsar Arafat até o fim do ano

O ministro da Defesa de Israel, Shaul Mofaz, afirmou que o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, deve "desaparecer" da liderança palestina e que o governo israelense terá que "lidar com esse assunto num período relativamente curto de tempom possivelmente neste ano". "Acho que Israel cometeu um erro histórico ao não mandá-lo para o exílio há dois anos", acrescentou. Mofaz também disse que Israel deverá escolher o momento de expulsar Arafat com cuidado, de modo a não minar a autoridade do primeiro-ministro palestino, Mahmoud Abbas - que, na opinião do governo israelense, é mais sério do que Arafat no compromisso de fazer a paz. O ministro palestino Ghassan Khatib reagiu às declarações de Mofaz afirmando que elas somente provocam um aumento das tensões, mas "são consistentes com o espírito de escalada da liderança israelense". Cerca de 200 parlamentares, acadêmicos e escritores palestinos firmaram uma carta aberta, publicada hoje pela imprensa local, convocando Arafat e Abbas a resolverem suas diferenças e afirmando que os confrontos estão prejudicando os interesses palestinos. ?Pedimos que parem com essas ações, que podem abrir uma porta para a intervenção estrangeira?, diz a carta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.