Ministro denuncia complô para matar presidente boliviano

Grupos conservadores conspiraram para que camponeses assassinassem o presidente da Bolívia, Evo Morales, denunciou hoje o ministro de governo Alfredo Rada. De acordo com o ministro, elementos de "extrema direita" pretendiam tirar proveito das freqüentes visitas de Morales a áreas rurais do país, onde o líder socialista muitas vezes é recebido por multidões e protegido por um aparato mínimo de segurança.Rada disse hoje que os conspiradores pretendiam convencer um agricultor pobre que Morales havia traído os movimentos sociais que o levaram ao poder e depois pagariam o homem para matar o presidente. O ministro não forneceu mais detalhes nem apresentou evidências, mas assegurou que o caso está sendo investigado.Ontem, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, comentou que Morales havia falado com ele sobre a descoberta de um complô para assassiná-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.