Ministro diz que imigrantes que não amam a França devem deixar o país

O ministro do Interior francês, Nicolas Sarkozy, convidou neste sábado os imigrantes que não amam a França a deixar o país e se opôs a "mudar leis, hábitos e costumes" do país "porque uma minoria não gosta deles". "Se há alguém incomodado por estar na França, que não se preocupe em deixar um país que não lhe agrada", afirmou Sarkozy em um comício a dois mil novos membros do partido conservador União por um Movimento Popular (UMP), do qual é presidente. O ministro do Interior apresentará no dia 2 de maio sua lei sobre a imigração, que pretende facilitar a seleção das pessoas que chegam ao país e impedir a entrada ilegal de estrangeiros. Sarkozy assegurou que, assim como outros países, como Estados Unidos, Austrália, Canadá, Reino Unido e Alemanha, a França tem direito a escolher "os melhores estudantes e trabalhadores" entre os imigrantes. Eleições Candidato declarado às eleições presidenciais de 2007, Sarkozy pediu o voto dos eleitores da extrema direita e dos da "esquerda popular". "Eu me considero de direita, de uma direita republicana, mas não me considero um conservador. Porque sei que o mundo se movimenta. Com esta idéia de movimento alguns homens e mulheres de esquerda podem perceber que conosco as coisas mudarão", assegurou Sarkozy em mensagem dirigida aos eleitores progressistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.