Ministro diz que Karzai obteve 68% dos votos

Responsável pelas Finanças afegãs afirma que dado é confiável; resultado inicial só será divulgado quinta-feira

REUTERS E NYT, O Estadao de S.Paulo

25 de agosto de 2009 | 00h00

Em uma eleição marcada pelo baixo comparecimento e acusações de fraudes, o presidente afegão Hamid Karzai teria conquistado a reeleição em primeiro turno, com 68% dos votos, segundo afirmou ontem o ministro das Finanças, Hazrat Omar Zakhilwal. O ministro não informou como obteve os dados, mas garantiu que são confiáveis. Oficialmente, os primeiros resultados parciais devem ser divulgados apenas na quinta-feira, sete dias após a votação. Pelas cifras divulgadas por Zakhilwal, Karzai obteve 3 milhões dos 4,5 milhões de votos apurados - de um universo total de 5 milhões de votos. O principal rival de Karzai, o ex-chanceler Abdullah Abdullah, teria ficado apenas com 1 milhão. "Sim, nós podemos", disse o ministro, imitando o slogan da campanha do presidente americano, Barack Obama. "E você pode deixar de fora Kandahar, Zabul e Uruzgan", afirmou Zakhilwal, referindo-se a províncias do sul do Afeganistão de maioria pashtun que apoiavam Karzai, mas onde o comparecimento às urnas foi baixo por causa das ameaças do Taleban. Questionado sobre os números apresentados, o porta-voz de Abdullah, Fazl Sangcharaki, duvidou da veracidade. "Não é verdade. Temos de esperar os resultados da comissão eleitoral", afirmou. Antes da eleição, duas pesquisas de opinião indicavam que Karzai teria a maioria dos votos, mas não chegaria a 50,1%, número exigido para evitar o segundo turno com Abdullah. Ambos os lados declaram vitória após a votação, mas prometeram respeitar o resultado oficial e evitar a violência.Desde o dia da eleição, Abdullah tem acusado Karzai e seus partidários de fraude generalizada e afirmou que seus correligionários apresentaram mais de 100 queixas de irregularidades. A ONU reconheceu que houve alguns "problemas" durante a votação, mas pediu que candidatos e eleitores tenham paciência enquanto as autoridades investigam as alegações de fraude.TROPASApesar do envio de 17 mil soldados adicionais, comandantes militares americanos disseram ao enviado da Casa Branca, Richard Holbrooke, que as forças no Afeganistão são insuficientes para combater os militantes do Taleban, que atuam nos dois lados da fronteira com o Paquistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.