Ministro diz que mineiros serão alcançados em 24 horas

Uma das três perfuratrizes que tenta abrir caminho até os 33 mineiros presos no interior da mina San José, no Chile, vai chegar a eles nas próximas 24 horas, informou hoje o ministro de Minas Laurence Golborne. Os homens estão presos a cerca de 700 metros de profundidade, no norte do país, desde o dia 5 de agosto.

AE, Agência Estado

08 de outubro de 2010 | 15h52

Assim que a perfuratriz chegar ao local, equipes de resgate lideradas por Andre Sougarret, da mineradora Corporación Nacional del Cobre, a Codelco, vai decidir que parcela do túnel será revestida. Em conversa com jornalistas transmitida ao vivo da mina, Golborne disse que o primeiro mineiro deve ser trazido à superfície na próxima semana. Os trabalhadores, 32 chilenos e um boliviano, retornarão à superfície no prazo entre três e dez dias, dependendo de decisões técnicas referentes ao revestimento do túnel, informou Golborne.

O ministro disse que duas pessoas, um funcionário da Codelco e um paramédico da Marinha, descerão para a mina para ajudar os mineiros a entrarem na cápsula que os levará à superfície, chamada de Phoenix.

Como a viagem de volta deve demorar cerca de uma hora, o processo de resgate pode demorar dois dias, disse Golborne. O ministro da Saúde Jaime Manalich disse que as equipes de resgate já realizaram um ensaio geral antes do início do resgate. "Hoje é o dia 64 desde que o início do martírio, e estamos muito perto de trazê-los de volta à superfície", afirmou Manalich.

Uma hospital de campana foi montado nas proximidades da mina, onde os trabalhadores serão inicialmente tratados. Logo depois, eles serão enviados de avião para um hospital na cidade de Copiapó. Em Santiago, o presidente Sebastian Piñera anunciou que ele e seu homólogo boliviano Evo Morales viajarão para a mina San José na semana que vem para receber os mineiros. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
resgatemineirosChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.