Ministro do Exterior do Irã critica CS

O ministro do Exterior do Irã, Manouchehr Mottaki, disse nesta terça-feira, 1°, que "o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) provou a sua inutilidade e ineficiência durante essa agressão (de Israel)", após ter se reunido em Beirute com o presidente do Líbano, Emile Lahoud, um grande aliado do Hezbollah."Nós acreditamos que os protetores da nação sionista são parceiros destes crimes brutais cometidos contra crianças e mulheres inocentes", disse Mottaki. O ministro iniciou sua visita ao Líbano na segunda-feira. Ele chegou ao país por terra, entrando pela Síria, já que o único aeroporto internacional foi bombardeado nos primeiros dias do conflito.Na segunda-feira à noite, Mottaki se encontrou com os ministros do Exterior do Líbano, Fawzi Salloukh, e da França, Philippe Douste-Blazy, que estava no país pela terceira desde que o Hezbollah capturou dois soldados israelenses em 12 de julho, dando início à ofensiva de Israel.Os ministros não deram nenhuma declaração sobre a reunião. "A opinião pública na mundo islâmico e na comunidade internacional está diariamente condenando os ataques de Israel, enquanto vemos as organizações internacionais se manterem em silêncio", disse Mottaki.Ajuda ao HezbollahUm líder clérigo pediu aos Estados muçulmanos que providenciem armas ao Hezbollah para a luta contra Israel, segundo anunciou nesta terça-feira a agência de notícias iraniana ISNA. Segundo a agência, o aiatolá Ahmad Jannati, líder do Conselho de Segurança, órgão que media as conversações entre o parlamento e o governo, disse que os países islâmicos devem armar a guerrilha xiita. "Agora, os países muçulmanos não devem poupar nenhuma assistência ao Hezbollah e ao povo libanês, provendo armas, medicamentos e alimento", disse Jannati.Israel e os Estados Unidos acusam o Irã de armar o Hezbollah, mas Teerã afirma que apenas dá suporte moral ao grupo. O discurso de Jannati foi feito após a televisão estatal iraniana pedir ao governo que apóie financeiramente o Hezbollah, porém, a rede não comentou sobre o líder e não está claro se o posicionamento de Jannati é a visão do governo.Organização da Conferência IslâmicaO líder dos 56 membros da Organização da Conferência Islâmica (OCI), o maior grupo político muçulmano, pediu nesta terça-feira por uma assistência humanitária em larga escala ao Líbano e aos palestinos.O secretário-geral da OCI, Ekmeleddin Ihsanoglu, telefonou de Istambul para países muçulmanos para organizar a ajuda."Não há eletricidade ou serviço de água, nem comida ou alimentação e os comboios de ajuda estão entrando no país sob ataques", disse Ihsanoglu.O grupo irá se reunir no final desta semana na Malásia para discutir as medidas de ajuda ao Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.