Ministro do Interior da França diz que autor de atentado se 'radicalizou' recentemente

Bernard Cazeneuve afirmou que os serviços de segurança do país detiveram 160 pessoas ligadas a atividades de terrorismo, mas o autor do massacre era desconhecido dos serviços de inteligência

O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2016 | 20h38

Paris - O franco-tunisiano que dirigia o caminhão durante o ataque em Nice se radicalizou apenas recentemente, afirmou neste sábado, 17, o ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve.

Após uma reunião com o presidente François Hollande e outros ministros, Cazeneuve afirmou que os serviços de segurança da França detiveram 160 pessoas ligadas a atividades de terrorismo, e impediram um número significativo de ataques desde o início do ano. No entanto, o homem identificado como o autor do ataque, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, era desconhecido da inteligência, e que o interrogatório de pessoas próximas a ele mostrou que sua conversão ao radicalismo se deu há pouco tempo.

O ministro notou o uso de um caminhão ao invés de explosivos ou outras armas para conduzir o ataque. "Isso nos mostra as extremas dificuldades da luta contra o terrorismo."

Embora o grupo extremista Estado Islâmico tenha reivindicado a autoria do atentado, investigadores ainda não encontraram nenhuma ligação entre Bouhlel e grupos terroristas. Isso contrasta com ataques recentes na França e na Bélgica, que foram conduzidos por pessoas treinadas e com experiência de combate na Síria.

Ainda assim, o ministro de Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, afirmou que pessoas estão sendo inspiradas pelos atos violentos do Estado Islâmico.

"Mesmo que o Daesh não esteja organizando, ele dá vida a essa mentalidade terrorista", afirmou, se referindo ao grupo por um de seus acrônimos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.