Ministro do Interior francês continuará no governo

O ministro do Interior da França, Nicolas Sarkozy, assegurou nesta sexta-feira que continuará no governo de Dominique de Villepin e reivindicou "a verdade" no escândalo Clearstream - sobre o envio anônimo à Justiça de uma falsa lista de contas bancárias na qual seu nome aparecia.Sarkozy discursou em um ato de seu partido, a conservadora União por um Movimento Popular (UMP). Na ocasião, aplacou as vozes que falavam sobre a possibilidade do ministro abandonar o Executivo, para assim deixar patente o rompimento com seus adversários Villepin e Jacques Chirac. A manobra seria com vistas às eleições presidenciais de 2007, nas quais provavelmente será candidato.A possibilidade de Sarkozy renunciar tinha sido cogitada pela imprensa. A mídia citou fontes próximas do ministro, que teriam lhe sugerido deixar claro seu distanciamento de Chirac e Villepin."Continuarei meu trabalho a serviço da segurança dos franceses", disse o ministro e presidente da UMP, que enumerou alguns projetos de lei que tem interesse em promover, como a reforma do sistema de imigração, atualmente em trâmite no Parlamento, e um projeto que será apreciado nas próximas semanas sobre a luta contra a criminalidade.Em clara alusão ao caso Clearstream, Sarkozy disse que "primeiramente" deseja, "a verdade".Vítima O ministro decidiu assumir o papel de vítima de uma trama político-judicial diante da possibilidade de ser beneficiado em sua corrida pela Presidência da República. Sua eventual saída do gabinete "criaria as condições para uma crise política que só beneficiaria a esquerda e os políticos radicais", declarou hoje o ministro francês do Interior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.