Ministro egípcio atribui explosões no Sinai a beduínos

O ministro de Interior do Egito, Habib el-Adly, disse nesta quarta-feira, 26, que todas as explosões desta semana na Península do Sinai estão relacionadas com os atentados dos anos passado e retrasado em estâncias turísticas da região. "As informações das quais dispomos indicam que (os responsáveis) são beduínos do Sinai e as operações mais recentes estão relacionadas aos ataques (dos anos) anteriores", disse Adly à televisão estatal egípcia, referindo-se às ações extremistas que deixaram dezenas de mortos em Sharm el-Sheik (julho de 2005) e Taba (outubro de 2004). As autoridades egípcias, preocupadas com o impacto dos atentados sobre o turismo no país, preferem atribuir os ataques aos beduínos da região. Entretanto, agentes de serviços secretos estrangeiros acreditam que a rede extremista Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden, seja a verdadeira responsável pelos recentes atentados no Egito. De 2004 para cá, os atentados contra estâncias turísticas do Sinai deixaram um saldo de mais de 130 mortos entre vítimas e militantes suicidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.