Ministro francês defende política de expulsão de ciganos

Os ciganos de etnia roma têm um estilo de vida oposto à maneira de viver dos franceses, disse o ministro do Interior da França, Manuel Valls. A autoridade também afirmou que eles devem voltar para a Romênia ou para a Bulgária.

AE, Agência Estado

25 de setembro de 2013 | 09h20

Manuel Valls defendeu a política do governo francês de destruir acampamentos dos ciganos e expulsar seus moradores. "Eu aprovei o desmantelamento dessas verdadeiras favelas que representam um perigo tanto para as pessoas de origem cigana, mas também, claro, para as pessoas que vivem em bairros da classe trabalhadora" nas proximidades, onde eles são frequentemente encontrados, disse Valls na rádio France Inter.

Poucos, segundo ele, podem se integrar na sociedade francesa. "Esses povos têm estilos de vida muito diferentes do nosso, e estão claramente em confronto", disse o ministro.

Muitos críticos consideram a política do governo francês racista e discriminatória. A França tem tentado evitar que a Romênia e a Bulgária tenham acesso completo à zona Schengen da Europa, que permite viajar sem passaporte. Os dois países do leste Europeu deve ter acesso à zona de 26 países em 1º de janeiro.

O primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, pediu um processo de admissão em duas etapas. Inicialmente com viagens aéreas e, em seguida, por via terrestre ou viagens marítimas, embora ele não tenha especificado uma data. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Françaciganos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.