Ministro holandês descarta terrorismo em incidente com avião americano

O ministro da Justiça holandês, Piet Hein Donner, descartou nessa quinta-feira a hipótese de terrorismo no incidente que resultou no retorno de um avião comercial americano para o aeroporto de Amsterdam na quarta-feira, instantes após decolar. Doze suspeitos foram retirados do avião após a tripulação da aeronave ter detectado "comportamento estranho" entre os passageiros, todos de origem indiana. O avião, da Northwest Airlines, tinha como destino a cidade indiana de Mumbai, e chegou a ser escoltado por caças F-16 em seu retorno ao aeroporto. O avião fez meia volta para Amsterdam depois de entrar em espaço aéreo alemão."Do que sabemos até o momento, nada leva a crer tratar-se de um caso de terrorismo", disse Donner em entrevista concedida na cidade de Haia. O ministro recusou-se explicar porque os homens foram mantidos sob custódia, embora tenha dito que o incidente foi tratado com tanta seriedade devido "ao comportamento deles". As autoridades holandesas irão libertar os indianos presos nesta quinta-feira. Um funcionário do governo americano, que falou em condição de anonimato, disse na quarta-feira que os membros da tripulação do avião desconfiaram dos homens depois de vê-los tentando usar e trocando telefones celulares entre si durante a decolagem do jato DC-10."Foi um comportamento que passageiros comuns não teriam", disse o funcionário. Passageiros descreveram os homens como tendo entre 25 e 35 anos e falando Urdu, uma língua falada no Paquistão e por indianos muçulmanos. Alguns tinham barba e usavam um tipo de roupa comumente utilizada por muçulmanos do sul asiático.Nessas declarações, algumas das pessoas abordo do avião disseram que os homens chamaram a atenção pois caminhavam pelo corredor da aeronave logo após a decolagem.Segundo Nitin Patel, um passageiro de Boston que sentou-se atrás dos homens, disse acreditar que "os homens queriam seqüestrar o avião".Outros casosDesde a descoberta de uma suposta trama terrorista para explodir vôos transatlânticos entre a Inglaterra e os Estados Unidos, vários episódios parecidos com o desta quarta-feira ocorreram em aeroportos europeus e americanos. Em Huntington, nos Estados Unidos, uma mulher foi presa por tentar embarcar com líquidos inicialmente identificados como explosivos pelas autoridades. Além disso, um vôo da companhia Pacific Blue de Fiji para Sydney foi desviado, um avião britânico de Londres para o Egito teve que fazer um pouso de emergência na Itália e um avião inglês que ia de Londres para Washington foi desviado para Boston. Nenhuma das suspeitas que causaram as mudanças de rota foram confirmadas. Em 2004 o assassinato de um cineasta crítico do islã por um holandês de origem marroquina colocou em destaque a ação de militantes locais. Nove jovens muçulmanos foram condenados e presos este ano por pertencer a um grupo terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.