Ministro holandês diz que morte de Milosevic foi natural

O Tribunal Penal Internacional de Haia, na Holanda, confirmou neste sábado a morte do ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic, de 64 anos, em sua cela, mas não informou as causas. O ministro das Relações Exteriores da Holanda, Bernard Bot, disse que a morte foi natural e descartou a hipótese de suicídio ou envenenamento. O ministro de Relações Exteriores da Sérvia, Vuk Draskovic, lamentou que a morte de Milosevic tenha acontecido antes da decisão final do julgamento. De acordo com a rádio de Belgrado B-92, a primeira a anunciar a notícia, quando foi achado, Milosevic já estava morto há algumas horas. A emissora informou que a família do ex-presidente foi informada do fato. Em fevereiro de 2002, Milosevic, de 64 anos, foi indiciado no tribunal por genocídio na Bósnia e crimes de guerra na Croácia e no Kosovo. O julgamento do ex-presidente foi suspenso várias vezes por causa de seus problema cardíacos e de hipertensão crônica. Ultimamente, Milosevic vinha se queixado de dores de cabeça e de "uma tensão insuportável nos olhos e nos ouvidos".

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 10h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.