Ministro inglês congela bens de grupo islâmico

O ministro das Finanças da Grã-Bretanha, Gordon Brown, determinou nesta sexta-feira o congelamento com efeito imediato dos bens no país do Movimento para a Reforma Islâmica na Arábia por suposto vínculo com a rede extremista Al-Qaeda. Segundo um comunicado do Ministério da Economia, a disposição de Brown foi adotada depois de a Organização das Nações Unidas (ONU) ter afirmado que o diretor e porta-voz dessa organização, Saad al-Faqih, está ligado à rede liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden. O movimento é composto por opositores sauditas tem sede em Londres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.