Tasnim News Agency/via Reuters
Tasnim News Agency/via Reuters

Irã diz que ciberataques dos EUA falharam e que abatimento de drone poderia se repetir

Pentágono teria lançado ofensiva cibernética para afetar sistema de lançamento de foguetes do Irã

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2019 | 02h32

Ciberataques americanos contra alvos iranianos não tiveram sucesso, afirmou o ministro de telecomunicações do Irã nesta segunda-feira, dias após ser reportado que o Pentágono lançou um ataque cibernético planejado para desabilitar o sistema de lançamento de foguetes do país.

A tensão entre os velhos adversários Irã e Estados Unidos escalou após o presidente Donald Trump declarar, na sexta-feira, que abortou um ataque militar para retaliar o abatimento de um drone americano pelo país do Oriente Médio.

Na quinta-feira, porém, o Pentágono lançou um ciberataque planejado que, segundo o The Washington Post, teria desabilitado o sistema de lançamento de foguetes iraniano.

"Eles tentam muito, mas não levaram o ataque adiante com sucesso", afirmou Mohammad Javad Azari Jahromi, ministro de tecnologia da informação e comunicação do Irã, por meio do Twitter.

"A imprensa perguntou se os supostos ciberataques contra o Irã são verdade", afirmou. "No último ano neutralizamos 33 milhões de ataques com o sistema de firewall nacional", concluiu o ministro.

Azari Jahromi definiu os ataques a computadores iranianos como "ciberterrorismo", fazendo referência ao Stuxnet, o primeiro exemplo de conhecimento público de um vírus usado para atacar maquinaria industrial, que atingiu instalações nucleares do Irã em novembro de 2007.

O Stuxnet, que acredita-se ter sido desenvolvido por Estados Unidos e Israel, foi descoberto em 2010 após ter sido usado para atacar uma instalação de enriquecimento de urânio na cidade iraniana de Natanz.

Contra-ataque. Washington acusou Teerã de ter intensificado os ciberataques. Oficiais americanos detectaram um aumento de "atividade cibernética maliciosa" dirigida aos Estados Unidos por pessoas ligadas ao governo iraniano, afirmou Chris Krebs, diretor da agência de cibersegurança do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, neste sábado, no Twitter.

'Resposta firme'. Também nesta segunda-feira, um comandante da marinha iraniana descreveu o abatimento do drone americano no Golfo Pérsico na última semana como uma "resposta firme" aos Estados Unidos e alertou que poderia ser repetido.

"Posso assegurar que esta resposta firme pode ser repetida e o inimigo sabe disso", afirmou Hossein Khanzadi./Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.