Ministro iraquiano ordena fechamento de televisões sunitas

O ministro do Interior iraquiano, Jawad al-Bulani, ordenou neste domingo o fechamento de duas redes de televisão por satélite sunitas, horas após a divulgação da condenação à morte do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein. O porta-voz do Ministério do Interior, Abd al-Karim Jalf, em entrevista ao canal público de televisão Al-Iraquiya, assegurou que as redes tinham sido fechadas por "emitir programas que incitam à violência". As televisões Al-Zuraa e Salah ad-Din foram fechadas por terem violado a lei antiterrorista, afirmou o porta-voz, esclarecendo que "serão tomadas medidas legais contra todos aqueles canais e veículos de comunicação que incitem à violência". Os canais mostraram as reações de vários iraquianos depois da condenação à morte de Saddam, da condenação de seu meio-irmão Barzan al-Tikriti, ex-chefe dos serviços secretos, e Awad Hamad al-Bandar, pelo assassinato de 148 xiitas em 1982 na cidade de Dujail. Vários participantes prometeram vingança e a intensificação das atividades da resistência armada, que vão incluir membros do Governo. Há dois anos o presidente do país, Jalal Talabani, decidiu fechar o escritório em Bagdá do canal de televisão catariana Al-Jazira alegando o mesmo motivo. As autoridades Iraquianas também fecharam neste domingo a fronteira com a Jordânia, por tempo indeterminado, e impuseram o toque de recolher nas quatro províncias mais conflituosas do país: Bagdá, Al-Anbar, Salah ad-Din e Baquba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.