Ministro iraquiano renuncia em protesto contra torturas

O ministro iraquiano de Direitos Humanos, nomeado pelo governo americano, renunciou em protesto contra os abusos sofridos por iraquianos detidos sob custódia de militares dos EUA. O ministro do Interior, por sua vez, exigiu que autoridades iraquianas tomem parte na administração das prisões. O ministro demissionário, Abdul-Basat al-Turki, disse que deixa o cargo ?não apenas por acreditar que o uso de violência é uma violação de direitos humanos, mas também por acreditar que tais métodos nas prisões mostram que as violações são comuns?. Al-Turki disse ter se queixado, em dezembro, de violações de direitos cometidas por americanos. Ele não informou se suas reclamações deram resultado. Os iraquianos estão revoltados pelas imagens de detentos da prisão de Abu Ghraib, mostrando iraquianos humilhados pelos guardas. Em Washington, o secretário de Defesa Donald Rumsfeld disse que os autores das torturas ?traíram a América? e serão punidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.