Ministro israelense diz que Arafat é suspeito em atentados

O ministro da Defesa de Israel disse suspeitar que o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, teve parte nos dois ataques suicidades de terça-feira, e que Israel deveria reavaliar sua política em relação ao líder palestino. Forças israelenses mantêm Arafat confinado à cidade de Ramallah já há quase dois anos.Israelenses e palestinos trocaram acusações a respeito dos atentados de ontem, que deixaram dois cidadãos de Israel mortos e 17 feridos. Um dos ataques foi reivindicado pelo grupo radical Hamas e outro por renegados da Fatah, a facção encabeçada por Arafat. ?Não ficaria surpreso se Arafat estivesse por trás dos ataques terroristas recentes?, disse o ministro Shaul Mofaz. ?Arafat continua a ser um obstáculo ao processo (de paz)?, afirmou.Nesta quarta-feira, Arafat lamentou a morte de uma irmã, Yousra Abdel Raouf Al Kidwah, que morreu no Egito aos 77 anos. O líder apelestino não irá ao funeral, na cidade de Khan Younis, na Faixa de Gaza. Para deixar Ramallah, ele precisaria de uma autorização de Israel, e autoridades israelenses afirmam que nenhum pedido foi feito nesse sentido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.