Ministro italiano diz que crise não será superada sozinha

Nenhuma nação europeia é forte o bastante para superar sozinha a crise da dívida, insistiu o primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, neste sábado. "Nenhum país europeu é tão forte para pensar que pode avançar sozinho", acrescentou. "É hora para que todos façam sua lição de casa. Ninguém pode pensar que pode fazer menos que os outros".

NALU FERNANDES, Agência Estado

07 de janeiro de 2012 | 13h16

"A Itália, com objetivo de se desenvolver econômica e socialmente, precisa da Europa, e a Europa, para ser mais forte, precisa da Itália", disse Monti, em discurso na cidade de Reggio Emília.

Embora Monti não tenha citado nomes, alguns críticos sentem que a Alemanha tem colocado sua economia à frente de interesses de toda a União Europeia.

Monti terá uma reunião com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em Berlim, na quarta-feira, e também na reunião da UE em Bruxelas no fim do mês.

"A Itália está fazendo sua parte. Agora, outros países da União Europeia deveriam fazer o mesmo", afirmou Monti. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaMonti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.