Ministro italiano renuncia após polêmica sobre marines

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Giulio Terzi, renunciou nesta terça-feira após uma polêmica sobre a condução dele de um caso envolvendo dois fuzileiros navais italianos, acusados de atirar em dois pescadores indianos no ano passado.

Agência Estado

26 de março de 2013 | 12h24

Terzi anunciou sua intenção de renunciar no fim de um discurso no parlamento, afirmando que era contrário à decisão de enviar de volta os dois marines italianos à Nova Délhi na semana passada.

O ministro é membro de um governo tecnocrata que será substituído em breve por um novo governo formado após eleições gerais no mês passado.

Ele afirmou que a Índia era um "grande poder" com armas nucleares, mas advertiu contra tendências nacionalistas lá.

Os dois fuzileiros são acusados de terem atirado em dois pescadores na costa do sul da Índia no início de 2012, aparentemente confundindo-os com piratas. As autoridades indianas permitiram que os marines voltassem para a Itália para votar, sob a condição que eles retornassem, um acordo que Roma depois decidiu quebrar, antes de reverter a decisão e devolver os dois homens.

Os marines italianos estavam a bordo do Enrica Lexie, um navio-tanque de petróleo de bandeira italiana e de propriedade da Zaliv Shipping Company, baseada em Moscou. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
ItáliaÍndiaFuzileiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.