Ministro libanês visita Síria e discute segurança

O ministro da Defesa do Líbano, Elias Murr, visita a Síria pela primeira vez desde que escapou de uma tentativa de assassinato que, na época, ele sugeriu que tivesse sido trabalho de agentes de inteligência sírios. A visita, com foco principal nas discussões sobre segurança, é um sinal de melhora nas relações entre dos dois vizinhos que tentam reconstruir a confiança mútua. Murr é o último de uma série de altos oficiais libaneses a ir a Damasco. Murr conversou hoje com o presidente sírio Bashar Assad e seu colega, Hassan Ali Turkmani. De acordo com a agência oficial síria, eles discutiram operações de cooperação em segurança e o combate ao contrabando na fronteira entre os dois países. Em agosto, a Síria e o Líbano decidiram estabelecer relações diplomáticas formais pela primeira vez desde que conquistaram suas independências, nos anos 1940.Em outra medida histórica, o Iraque está enviando seu primeiro embaixador à Síria desde pouco depois do ex-ditador Saddam Hussein assumir o poder, quase três décadas atrás. O embaixador, Alla al-Jawadi, deve chegar a Damasco amanhã, de acordo com o vice-ministro de Relações Exteriores iraquiano, Labid Abawi. O vice-ministro disse que o novo embaixador comandou recentemente as relações com as nações árabes no ministério. Ele acrescentou que o embaixador sírio no Iraque, nomeado no ano passado, deve chegar em breve a Bagdá. . A Síria e o Iraque reativaram suas relações diplomáticas em novembro de 2006, encerrando um impasse de 24 anos, quando Damasco acusou o Iraque de incitar protestos na Síria, em 1982. Na ocasião, os dois países eram governados por facções rivais do Partido Baath. A Síria também apoiou o Irã, que não é árabe, mas persa, na guerra contra o Iraque, entre 1980 e 1988. As relações pioraram ainda mais quando a Síria entrou na ofensiva, liderada pelos Estados Unidos, que expulsou o Exército de Saddam do Kuwait, em 1991.Após a invasão norte-americana no Iraque, em 2003, o governo pós-Saddam gradualmente reativou os laços com outras nações árabes, incluindo a Jordânia e vários Estados do Golfo. O governo iraquiano, liderado pelos xiitas, hoje mantém também boas relações com Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.