Ministro: mídia deve deixar Harry cumprir seu papel no Iraque

O governo britânico pediu neste domingo, 25, à imprensa que não se intrometa e deixe o príncipe Harry, terceiro na linha de sucessão ao trono, cumprir seu dever quando for enviado com seu regimento ao Iraque. O secretário de Estado para as Forças Armadas, Adam Ingram, afirmou neste domingo que a crescente atenção aos meios de comunicação na missão de Harry poderia interferir na segurança do príncipe."Que deixem ele fazer aquilo para o que ele foi treinado. Harry é um oficial muito bem preparado e irá crescer com esta missão. Que deixem ele fazer seu trabalho e não no príncipe", declarou Ingram à rede de televisão ITV.O ministro da Defesa britânico, Des Browne, confirmou na última quinta-feira que os batalhões do regimento aos quais Harry pertence, devem chegar ao Iraque entre maio e junho de 2007.Harry, de 22 anos, é o segundo filho do príncipe Charles e tem o título de subtenente. Ele vai servir no batalhão "Blues and Royals" da Guarda Real, o regimento mais importante e antigo do exército britânico.O príncipe Harry será o primeiro membro da Família Real a servir no exército desde a Guerra das Malvinas - entre Reino Unido e Argentina, em 1982 - quando um de seus tios, o príncipe Andrew, pilotou um helicóptero britânico.A decisão de Harry ir ao Iraque foi anunciada um dia depois do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, ter informado ao Parlamento a retirada de um efetivo de 1.600 a 1.700 soldados britânicos da cidade de Basora, ao sul do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.