Minoru Iwasaki/Kyodo News via AP
Minoru Iwasaki/Kyodo News via AP

Chanceler norte-coreano viaja à Suécia, cuja embaixada em Pyongyang representa interesses americanos

Viagem ocorre no momento em que EUA e Coreia do Norte preparam uma histórica cúpula, que pode ser realizada antes do fim de maio

O Estado de S.Paulo

15 Março 2018 | 07h19
Atualizado 15 Março 2018 | 08h37

PEQUIM - O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, fez escala nesta quinta-feira, 15, em Pequim antes de viajar à Suécia, país cuja embaixada em Pyongyang representa os interesses dos EUA, no momento em que norte-coreanos e americanos preparam uma histórica cúpula.

+ As perguntas que surgem após anúncio do encontro de Trump e Kim

+ Para entender: 7 pontos sobre as negociações com a Coreia do Norte

O Ministério das Relações Exteriores da China confirmou que o chanceler passou por Pequim antes de tomar um avião rumo a Estocolmo.

+ Relembre a troca de farpas entre Trump e Kim

+ Entrevista: ‘A Guerra da Coreia está perto do fim’

Segundo o jornal sueco Dagens Nyheter, que na semana passada citava fontes diplomáticas, a chefe da diplomacia sueca, Margot Wallström, se reunirá "em breve" com Ri.

+ Análise: Uma guinada na política externa americana

A embaixada da Suécia em Pyongyang representa os interesses americanos na Coreia do Norte, já que Washington não tem relações diplomáticas com o regime de Kim Jong-un. "Não podemos excluir a possibilidade de um contato entre Coreia do Norte e EUA" durante a visita de Ri, declarou uma fonte na capital chinesa à agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Uma histórica cúpula entre o presidente americano, Donald Trump, e Kim Jong-un pode ser realizada antes do fim de maio, anunciou na semana passada um funcionário de alto escalão do governo sul-coreano, após meses de tensão e ameaças de guerra em torno do programa nuclear norte-coreano. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.