Ministro pede que R.Unido não dê as costas para mundo

O ministro de Finanças do Reino Unido, George Osborne, alertou que o Reino Unido não deve dar as costas ao mundo após a decisão do Parlamento do país em não apoiar a moção do governo por uma intervenção militar na Síria.

AE, Agência Estado

30 de agosto de 2013 | 08h29

"Espero que isso não se torne o momento em que viramos as costas para os problemas do mundo", disse ele.

O ministros afirmou à emissora BBC nesta sexta-feira que ele entende que muitos parlamentares e cidadãos britânicos não querem um envolvimento do Reino Unido na Síria. Para o ministro, é claro que os britânicos preferem que o governo se concentre nos problemas domésticos.

Contudo, segundo Osborne, haverá uma reflexão nacional sobre o papel global do Reino Unido depois da votação. O primeiro-ministro David Cameron havia tentado buscar o apoio do Parlamento em direção a uma ação militar contra o regime do presidente Bashar Assad, mas não conseguiu conquistar a maioria. Osborne disse que vai respeitar a opinião do Parlamento.

Ele acrescentou que a "relação especial" do Reino Unido com os EUA está intacta e que a Casa Branca tinha sido "compreensível" após votação do Parlamento.

O regime do presidente sírio, Bashar Assad, é suspeito de usar armas químicas contra o próprio povo. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
reino unidosíriaministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.