Ministro peruano diz que um estudante morreu, não quatro

Autoridades peruanas afirmaram que um estudante morreu - e não quatro, como afirmou uma deputada - em "confrontos" entre universitários e forças de segurança na cidade de Puno, sudeste do Peru. O ministro da Defesa, Aurelio Loret de Mola, garantiu que no protesto estudantil, que deixou 49 feridos, alguns em estado grave, "se infiltraram vândalos" e membros do grupo subversivo Sendero Luminoso. Anteriormente, a deputada de Puno, Paulina Arpasi, havia informado que a repressão na Universidade Nacional do Planalto, que os estudantes pretendiam ocupar, deixara quatro mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.