Ministro polonês quer saída de soldados do Iraque em 2005

A Polônia, um importante aliado dos Estados Unidos na ocupação do Iraque, deve retirar suas tropas do país árabe até o fim de 2005, declarou o ministro polonês da Defesa, Jerzy Szmajdzinski, em entrevista publicada nesta segunda-feira. As declarações, publicadas hoje pelo jornal local Gazeta Wyborcza, representam a primeira vez em que autoridades polonesas dizem abertamente que o país pode encerrar em breve sua participação no Iraque. Szmajdzinski argumentou que dois anos e meio é tempo "suficiente" para o Exército da Polônia permanecer no Iraque. Ele disse ainda que sua posição tem como objetivo conter o que chamou de "populismo barato" dos opositores da presença militar polonesa no país árabe. O primeiro-ministro Marek Belka disse não ter sido consultado sobre a declaração. Em visita a Paris, o presidente da Polônia, Aleksander Kwasniewski, disse que ainda não foi tomada nenhuma decisão sobre o assunto. "Na minha opinião, o prazo final para a missão polonesa deveria ser a data estabelecida pela resolução 1.546 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas", declarou Szmajdzinski ao jornal. A resolução aprovada pelo conselho determina que o poder seja plenamente devolvido às autoridades iraquianas até dezembro de 2005.

Agencia Estado,

04 Outubro 2004 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.