Ministro renuncia após sugerir participação hindu em Mumbai

Índia acusa Paquistão por ataque; político sugeriu que morte de chefe antiterror era sinal de envolvimento

Efe,

19 de dezembro de 2008 | 11h06

O ministro das Minorias indiano, A.R. Antulay, apresentou sua renúncia nesta sexta-feira, 19, após a polêmica que gerou no Parlamento sobre uma suposta participação de radicais hindus nos ataques terroristas de Mumbai de 26 de novembro. O ministro, de 79 anos, tinha sugerido que a morte durante os ataques do chefe da brigada antiterrorista de Mumbai, Hemant Karkare, poderia, na verdade, ter sido motivada por sua investigação das ligações de grupos radicais hindus com atentados anteriores. A Índia culpa pelos atentados de Mumbai a organização separatista da Caxemira Lashkar-e-Taiba, que opera do Paquistão, o país de onde seria o único terrorista detido vivo durante os ataques. As declarações de Antulay geraram forte polêmica no Parlamento indiano, onde o principal partido de oposição, o Bharatiya Janata Party (BJP), exigiu automaticamente sua renúncia. O BJP, de ideologia radical hindu, considerou que os comentários de Antulay tinham enfraquecido a posição indiana sobre os ataques, que o Governo atribuiu oficialmente a "elementos no Paquistão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.