Ministro russo diz que Irã nuclear não é preocupação

O ministro da Defesa da Rússia disse nesta sexta-feira que dobrar a capacidade do Irã de enriquecer urânio não é causa de preocupação e que especulação sobre Teerã produzir armamento baseado en urânio era "prematura". "Eu não tenho preocupações quanto a isso [Irã aumentar sua capacidade nuclear]", disse Sergey Ivanov a repórteres, acrescentando que uma segunda rede de centrífugas, anunciada pelo Irã, estava sob supervisão da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) e é voltada para "propósitos de pesquisa científica". "É cedo para falar de enriquecimento de urânio para fins civis ou para fins bélicos", disse o ministro.O anúncio iraniano vem enquanto membros do Conselho de Segurança (CS) da ONU estão traçando uma resolução, a qual imporia sanções limitadas à república islâmica por causa de sua recusa de cessar o enriquecimento, um processo que pode produzir combustível para um reator nuclear civil ou material de fissão para uma bomba. O ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, disse na quinta-feira que Moscou se opunha ao esboço da resolução.Rússia e China, ambos membros do CS com poder de veto e com fortes laços comerciais com Teerã, principalmente petrolíferos, têm constantemente se recusado a endossar sanções. A principal preocupação dos russos é o futuro de seu contrato bilionário para construir a primeira estação de poder nuclear do Irã. Uma autoridade do Irã, citada por uma agência de notícias do país, disse que a Aiea estava completamente ciente de que Teerã usa o gás dentro das centrífugas, e que inspetores nucleares já haviam chegado ao país islâmico. A Aiea, com sede em Viena, capital austríaca, não quis comentar o relato. Ampliada às 15h27

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.