Ministros de Educação e Finanças sul-coreanos anunciam renúncia

Os ministros sul-coreanos de Educação, Kim Jin-pyo, e Finanças, Han Duck-soo, comunicaram nesta sexta-feira a intenção de renunciar ao cargo, o que levará o presidente Roh Moo-hyun a realizar uma remodelação do governo.Jin-pyo apresentou sua renúncia ao assumir a responsabilidade por uma infecção alimentícia em massa em 36 escolas de Seul e na província vizinha de Gyeonggi.O surto de salmonela foi declarado há duas semanas e afetou mais de 3 mil estudantes adolescentes com diarréia e febre.Segundo o Ministério da Educação sul-coreano, a maioria dos afetados se recuperou, embora 150 alunos ainda permaneçam hospitalizados. Tal como indicou a imprensa, o governo ainda não encontrou a causa exata desta infecção.Em um encontro com jornalistas, o ministro da Educação pediu desculpas pelo incidente e manifestou sua intenção de retornar a seu posto de deputado no Parlamento.Fontes da Casa Presidencial indicaram que na próxima semana o presidente Moo-hyun deve substituir o ministro Jin-pyo e os titulares de Finanças e Economia, e de Planejamento e Orçamentos.SubstitutosO ministro das Finanças e Economia, Han Duck-soo, reconheceu que já tinha expressado a Moo-hyun sua intenção de abandonar seu atual cargo.Segundo fontes governamentais, o ex-chefe da secretaria presidencial para política nacional Kim Byong-joon poderia ser o próximo titular de Educação. Para a pasta de Finanças é cotado Kwon O-kyu, atual secretário-chefe para política nacional, que foi nomeado em maio passado para esse posto. O atual vice-ministro de Planejamento e Orçamentos, Byeon Yang-kyoon, seria a figura escolhida para liderar este ministério.Segundo a Casa Presidencial, este reajuste visa a cumprir as estratégias básicas do governo e resolver problemas como a polarização social do país e as disparidades surgidas no sistema educacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.