Ministros deixam partido governista da Tunísia

Premiê e presidente interino já haviam anunciado saída; população presisona por dissolução

Associated Press e Efe

20 de janeiro de 2011 | 09h57

TÚNIS - A agência estatal da Tunísia informou nesta quinta-feira, 20, que todos os membros do governo interino que pertenciam ao partido governista deixaram a legenda, em um decisão para desvincular seus nomes do partido do presidente derrubado Zine El Abidine Ben Ali.

 

Veja também:

linkTunísia já prendeu 33 parentes e Ben Ali

link'Revolta tunisiana é aviso prévio a outros governos'

blog A expansão da democracia no mundo árabe

 

Os tunisianos foram às ruas protestar contra o novo governo de unidade formado na segunda-feira por ser composto em sua maioria por políticos governistas. A população insiste que as desejadas mudanças democráticas serão impossíveis enquanto os aliados de Ben Ali e membros do Agrupamento Constitucional Democrático permanecerem no gabinete.

 

O primeiro-ministro, Mohamed Ghannouchi, e o presidente interino, Fouad Mebazaa, anunciaram na terça que deixaram o partido, movimento que foi seguido pelos demais componentes do governo. A primeira reunião de gabinete deve ocorrer nesta quinta.

 

A população pede a dissolução do Agrupamento, partido de Ben Ali, que governou a Tunísia por mais de 20 anos e é considerado um ditador. Ben Ali fugiu para a Arábia Saudita após protestos populares tomarem as ruas da capital, Túnis.

 

Embora a situação tenha se acalmado nos últimos dias, ainda há movimentação nas ruas da cidade. Nesta quinta, a polícia teve de disparar tiros de aviso para dispersar a multidão que pedia a dissolução do Agrupamento. Segundo comunicado da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado na quarta, mais de cem mortes estão sendo investigadas na Tunísia.

Tudo o que sabemos sobre:
TunísiaBen AliÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.