Ministros do G-7 prometem apoio financeiro à Geórgia

Os ministros das Finanças do Grupo dos Sete (G-7, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália e Japão) divulgaram hoje em Washington uma promessa de apoio à Geórgia. "Nós, o G-7, estamos prontos para apoiar a Geórgia com os objetivos de promover a saúde sustentada da economia georgiana, de manter a confiança no sistema financeiro da Geórgia e de apoiar a reconstrução econômica do país", informaram os ministros por meio de comunicado difundido depois de uma reunião em Washington.Os ministros das Finanças elogiaram um acordo por meio do qual a Geórgia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) prometem trabalhar juntos para reforçar a saúde do programa de reformas econômicas do país. Eles também pediram aos bancos internacionais de desenvolvimento que "prontamente identifiquem e apóiem as necessidades de reconstrução e a restauração dos serviços que servirão de base para o futuro desenvolvimento econômico" da Geórgia.Nos últimos anos, a Geórgia adotou um novo código fiscal, reduziu o número de licenças e autorizações necessárias para que se abra uma empresa no país e reduziu as tarifas de importação. Em 2005, a Geórgia lançou uma iniciativa anticorrupção que, segundo o Ministério de Relações Exteriores, "melhorou significativamente a administração fiscal e reduziu a economia informal" no país.O FMI já anunciou estar preparado para fornecer as orientações necessárias, assim como a assistência técnica e o apoio financeiro. O Banco Mundial também considera expandir sua linha de crédito ao país em US$ 50 milhões para US$ 350 milhões no próximo ano. "A Geórgia possui fundamentos econômicos sólidos como resultado das reformas econômicas e de boas políticas e estamos comprometidos para que a Geórgia siga nesse caminho", anunciaram os ministros do G-7. As informações são da agência Dow Jones.

AE-AP, Agencia Estado

20 de agosto de 2008 | 11h36

Tudo o que sabemos sobre:
GeórgiaG7

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.