Ministros do Norte de Darfur apresentam renúncia

O chefe de governo e os ministros do gabinete da região autônoma do Norte de Darfur renunciaram após o recente aumento da violência nessa zona do oeste do Sudão, segundo Mini Arkoi Minawi, assessor do presidente sudanês. Minawi, citado pela agência de notícias "Sunna", fez esta declaração após se reunir com o enviado americano para o Sudão, Andrew Natsios, que chegou neste domingo ao país para discutir com as autoridades locais a situação na região de Darfur, na fronteira como Chade. O responsável sudanês advertiu que a situação nessa região "não é estável", e que a renúncia do governo do Norte de Darfur "é uma clara prova". Minawi é o líder da principal facção do rebelde Movimento de Libertação do Sudão (MLS), e em maio passado assinou um acordo de paz com o governo de Cartum, segundo o qual foi nomeado assessor dopresidente do país, Omar Hassan al-Bashir.O conflito em Darfur começou em fevereiro 2003, quando o MLS iniciou um levante armado, junto com outros grupos, para protestar contra a pobreza e marginalização da região. Minawi disse que analisou com o enviado americano a atual situação em Darfur e a aplicação do acordo de paz assinado com Cartum em maio passado, em Abuja. Previamente, Natsios se reuniu com o ministro de Assuntos Exteriores sudanês, Lam Akol, para falar sobre a situação e Darfur, e um porta-voz do governo sudanês, Ali al-Sadek, disse aos jornalistas que o emissário americano não apresentou nenhumaproposta para solucionar o conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.