Ministros pedem retirada de assentamento da Faixa de Gaza

Membros moderados do gabinete de governo israelense pediram o desmantelamento da colônia judaica de Netzarim, na Faixa de Gaza, dois dias depois de atacantes dos grupos Hamas e Jihad Islâmica terem invadido uma base militar que a protege, matando três soldados. A morte dos soldados comoveu Israel e mais uma vez reacendeu o debate sobre a conveniência de o país manter forte aparato de segurança para defender um punhado de colônias, isoladas em meio a áreas densamente habitadas pelos palestinos. Netzarim, com 65 famílias, requer um batalhão inteiro para sua proteção. Desde o início da intifada, há três anos, nove soldados morreram ali e vários palestinos foram mortos ao tentar invadir o local.O ministro da Justiça, Yosef Lapid, do moderado Partido Shinui, disse que chegou a hora de uma séria discussão sobre o futuro da colônia e o ministro do Interior, Avraham Poraz, do mesmo partido, defendeu o desmantelamento de todos os assentamentos isolados da Faixa de Gaza. Mas em Netzarim, os moradores continuam confiantes que permanecerão no local. "Deus prometeu esta área a Israel", explicou Yossi Krakover, 35 anos, vivendo há 12 no assentamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.