Ministros podem visitar Santuário Yasukuni, diz Abe

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe se recusou a comentar se irá visitar o Santuário Yasukuni, dedicado à memória dos soldados japoneses mortos nas disputas bélicas do século XX, durante o aniversário da Segunda guerra Mundial na próxima semana. Abe, porém, afirmou que os seus ministros poderão fazer essa visita normalmente, informou o Kyodo News nesta terça-feira.

AE, Agência Estado

06 de agosto de 2013 | 03h21

"Eu não vou responder se vou visitar o santuário no dia 15 de agosto, no aniversário da rendição do Japão na 2º Guerra Mundial", afirmou Abe durante uma conferência de imprensa em Hiroshima, em meio a perspectivas de que a visita provocaria críticas ferozes de países vizinhos, como China e Coreia do Sul. "Se os ministros visitarem será por questões pessoais e de crença. Eles são livres para ir", acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires. (Marcelo Ribeiro Silva - Marcelo.silva@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
Tóquio06AE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.