STR/Reuters
STR/Reuters

Minsk: suspeitos confessaram participação em atentado, diz presidente

Lukashenko ainda quer investigar possíveis cúmplices e instigadores

estadão.com.br,

13 de abril de 2011 | 09h12

MINSK - O presidente da Bielo-Rússia, Aleksandr Lukashenko, anunciou nesta quarta-feira, 13, que os suspeitos detidos confessaram participação no atentado terrorista ao metrô que matou 12 pessoas última segunda-feira, 11. Segundo a AFP,

 

Lukashenko afirmou que os suspeitos confessaram também participação nos atentados cometidos no dia da independência, em 2008, e em Vitebsk, no leste do país, em 2005.

 

"Buscamos cúmplices e instigadores" disse o presidente. Ele informou que ordenou interrogatórios de figuras da oposição e também uma análise de todas as declarações das figuras políticas do país.

Segundo a Efe, as forças de segurança da Bielo-Rússia detiveram dois suspeitos do atentado terrorista. "Pode-se supor, com alto grau de probabilidade, que um dos detidos é o autor (do atentado)", disse Andrei Shved, procurador-geral do país e responsável pela investigação.

 

Shved disse à imprensa que os dois detidos são cidadãos bielo-russos e "se conhecem há muito tempo".

 

O atentado terrorista deixou 12 mortos e 151 feridos, sendo 40 em estado grave e 58 com ferimentos de média gravidade.

 

A estação Oktyabrskaya é uma das mais movimentadas de Minsk, já que liga os edifícios oficiais e as sedes das principais empresas industriais da cidade aos bairros dormitório.

 

Com Efe

Tudo o que sabemos sobre:
Bielo-RússiaMinskatentadoterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.