Mir: descida é adiada mais uma vez

Autoridades espaciais russas disseram que a estação espacial Mir será trazida de volta à atmosfera terrestre na próxima sexta-feira (23), um dia depois do planejado, enquanto um líder do parlamento fez um apelo público de última hora para que o presidente Vladimir Putin autorize a manutenção em órbita da estrutura.Oficiais haviam afirmado anteriormente que a descida controlada da Mir no Pacífico sul ocorreria na quinta-feira, mas depois de uma reunião realizada hoje, anunciaram o adiamento da manobra para o dia seguinte devido ao fato de a órbita da estação estar diminuindo em uma velocidade menor que a esperada. A Mir está a 228 quilômetros de altitude e deve cair mais três quilômetros hoje. O Controle de Missão quer que a estação orbital esteja a pelo menos 220 quilômetros de altitude antes de alinhar a Mir para sua manobra final.Se tudo transcorrer de acordo com o planejado, uma nave de carga acoplada com a estação ajudará na descida controlada da estação rumo a uma área do Oceano Pacífico situada entre a Austrália e o Chile por volta das 3h (horário de Brasília) de sexta-feira.Nikolai Anfimov, chefe do Instituto Central de Maquinaria - um dos principais componentes do programa espacial russo -, reconheceu hoje a existência de uma possibilidade ínfima de os motores não fornecerem tanto impulso quanto se espera. E isto poderia representar um risco de os restos da estação espacial não atingirem o alvo. "Se o impulso de um motor é insuficiente, a estação poderia voar mais do que deveria e a faixa sul da América do Sul poderia ser afetada", disse ele a jornalistas.Ao mesmo tempo, Anfimov tentou conter os temores do Japão com relação à queda da Mir, que sobrevoará o arquipélago japonês em sua rota de descida. "Ela passará tão alto que não ameaçará o Japão."Gennady Seleznyov, presidente da Duma, a câmara baixa do Parlamento russo, disse hoje a jornalistas que enviou uma carta a Putin no início de março com uma proposta para transformar a Mir em Mir-2. Em sua opinião, a Rússia deveria elevar a órbita da Mir e modernizá-la, utilizando uma versão reserva do módulo Zarya. Este módulo, construído para a Nasa pela empresa russa Khrunichev, foi lançado em novembro de 1998 para se transformar no primeiro segmento da estação espacial internacional Alpha. Segundo Seleznyov, Putin não respondeu à proposta.Outro apelo de última hora foi feito pelo presidente do Irã, Mohammad Khatami, que visitou o Controle de Missão na semana passada. Radzhab Safarov, chefe do Centro de Coordenação Russo-Iraniana disse em entrevista coletiva que Khatami fez uma proposta para comprar a Mir ou ajudar a financiá-la durante os próximos dois ou três anos. Mas as autoridades espaciais russas rejeitaram a proposta. De acordo com elas, os dias da Mir acabaram, publicou a agência Interfax.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.