AFP
AFP

Miss Honduras e irmã são encontradas mortas

Segundo a polícia, namorado da irmã confessou o crime, motivado por ciúme após uma festa; ele e um cúmplice foram presos

O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2014 | 10h56

(Atualizada às 17h35) TEGUCIGALPA - A Miss Honduras 2014, María José Alvarado, 19 anos, e a irmã dela Sofía Trinidad, 23, desaparecidas desde o dia 13, foram encontradas mortas nesta quarta-feira, 19. A polícia afirma que o autor do crime foi o namorado de Sofía, Plutarco Ruíz, 26 anos.




As duas haviam sido vistas pela última vez entrando em um carro cor champanhe depois da festa de aniversário de Ruíz, em Santa Barbara. No sábado, a mãe das duas reportou o desaparecimento.

Os corpos foram encontrados enterrados na beira do rio Aguagual, no município de Arada. “Podemos confirmar 100% que se tratam delas”, afirmou o chefe da investigação policial, Leandro Osorio.

Ruíz foi preso na segunda-feira. Segundo a polícia, ele matou as duas jovens na mesma noite em que as capturou. “Encontramos a arma e o veículo que foi utilizado para transportar das duas jovens”, afirmou Osorio.

O namorado de Sofía confessou o crime e disse ter enterrado os corpos com a ajuda de Aris Maldonado, que também foi preso. Segundo a polícia, Ruiz ficou irritado de a namorada ter dançado com outro homem na festa, começou uma discussão com ela, sacou uma arma e atirou contra a jovem.

María José tentou fugir e também foi baleada. O corpo da miss apresentava ao menos duas marcas de tiros nas costas.

No domingo, ela deveria ter embarcado para Londres, onde participaria do concurso Miss Mundo, mas foi ao aeroporto.

Osorio investiga se mais pessoas participaram do crime porque houve a tentativa de esconder os corpos e limpar a cena do crime. “Aparentemente, eles esperavam que a água carregase os corpos para longe, mas a investigação rápida impediu.”

Sonho. A mãe das jovens, Teresa Muñoz, afirmou ao The Telegraph que María José sempre sonhou em ser miss. “Desde que era pequena, ela adorava assistir a desfiles e eu sempre sentava, com minhas três filhas, para ver. Uma vez ela me disse ‘um dia serei miss Honduras’.”

A miss cursava o último ano de computação. Ela era conhecida nacionalmente não apenas por ter se tornado miss, mas pelo trabalho como modelo em um programa de televisão exibido aos domingos no Canal 5.

Ruíz conheceu Sofía na escola e estava saindo com ela há três meses. Os vizinhos da jovem disseram que ele era ciumento e causava problemas quando bebia.

Concurso. Segundo a agência AFP, Honduras fica sem representante no Miss Mundo, mas a página oficial do concurso não confirma a informação.

A presidente da organização emitiu um comunicado lamentando o caso. “Estamos devastados pela terrível perda de duas jovens cheias de vida. Nossos pensamentos e orações estão com a família e amigos nesse momento de luto”, disse Julia Morley.

A organização fará uma homenagem às duas no domingo. “Faremos um evento especial com a participação de todas as candidatas ao Miss Mundo, quando honraremos as vidas de María José Alvarado e Sofía Trinidad, fazendo orações para elas e os familiares.” /AFP, AP e NYT

Tudo o que sabemos sobre:
MissHondurasCrimeViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.