Richard Drew/AP
Richard Drew/AP

Missão da ONU na Síria pode ser encerrada ou reduzida

Conselho de Segurança exige que se inicie o processo de transição política no país

AFP,

02 de julho de 2012 | 19h12

NOVA YORK - O Conselho de Segurança da ONU deve reduzir ou fechar sua missão de observação na Síria caso governo e oposição não iniciem o processo de transição política, afirmou nesta segunda-feira, 02, o embaixador francês da ONU, Gérard Araud. "Se não há um processo político de transição, não podemos deixar os observadores no local", disse a jornalistas.

Veja também:

link Mais 85 militares sírios desertam e vão para a Turquia, diz agência

link Partidos de oposição da Síria rejeitam novo plano de paz proposto pela ONU

Os 300 observadores militares não armados suspenderam suas patrulhas devido aos combates e ao fato de que o mandato da Missão de Supervisão da ONU expira no próximo dia 20. "A dúvida é se retiramos totalmente a Missão ou parte dela, mantendo os observadores na região ou em Damasco", explicou Araud.

"Se tem início um processo político, os observadores serão úteis e, inclusive, necessários, mas se isso não ocorre, devemos avaliar opções que vão desde a redução até o fechamento" da missão, acrescentou.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, entrega suas recomendações sobre o futuro da Missão aos 15 membros do Conselho de Segurança nesta terça-feira. De acordo com deplomatas, a missão poderia se tornar um simples escritório de coordenação, com redução de militares.

Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, a Turquia e países que representam a Liga Árabe fecharam um acordo no último sábado sobre os termos de uma transição política na Síria proposta pelo mediador Kofi Annan. Entre os termos, está a formação de um governo que inclua membros do atual regime e da oposição. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.