Missão da Unasul tende a dar aval à eleição venezuelana

Para equipe formada por representantes de países da região, processo eleitoral não esteve comprometido

CARACAS, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2012 | 08h36

A missão de acompanhamento da União de Nações Sul-Americana (Unasul) deve dar seu aval pleno ao processo eleitoral na Venezuela, indicaram membros da equipe liderada pelo senador argentino Carlos "Chacho" Álvarez. "Até agora, não foi registrada nenhuma ocorrência que possa comprometer a lisura das eleições, mas o relatório da missão será entregue primeiro ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que decidirá sobre sua divulgação", indicou um integrante da equipe, instalada no Hotel Gran Meliá, em Caracas.

Apesar de dar sua aprovação ao trabalho da Unasul, o candidato da oposição, Henrique Capriles Radonski, sugeriu que a eleição deveria ter sido seguida desde o início da campanha por uma missão "verdadeiramente observadora", e não só de acompanhamento nos últimos dias da disputa. "Isso seria saudável para a democracia venezuelana", declarou Capriles após votar na capital. "Quase todos os países da região têm eleições acompanhadas por observadores de várias tendências e nacionalidades. Acho que a Venezuela também deveria ter."

Eleições anteriores no país foram observadas por missões europeias, pelo Centro Carter - dirigido pelo ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter - e por ONGs venezuelanas. / R.L,

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.