Missão humanitária é expulsa de Israel

O presidente de uma organização de ajuda internacional disse hoje que foi expulso de Israel junto com quatro colegas quando chegaram para dar início a uma missão médica, parcialmente financiada pela UE, nos territórios palestinos. O médico italiano Raffaele Salinari, que preside a organização voltada para as crianças Terre des Hommes, baseada em Genebra, disse que foi detido e mantido sob custódia durante a madrugada de sábado no aeroporto Tel Aviv junto com outro médico e três enfermeiras. Os quatro italianos e um alemão foram expulsos na manhã de domingo, acrescentou. "Não nos deram explicações quando nos colocaram numa cela. Só tive tempo de telefonar para o embaixador italiano, e ele questionou o Ministério do Interior sobre o que estava ocorrendo", relatou. "Disseram a ele que os israelenses não iriam permitir a entrada de nenhuma organização humanitária nos territórios ocupados. Foi quando ficamos sabendo porquê haviam nos detido". Uma autoridade israelense, que pediu para não ser identificada afirmou que o grupo foi expulso por questões de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.