Missão leva 200 fuzileiros navais para o Haiti

Cerca de 200 fuzileiros navais embarcaram hoje, no Rio de Janeiro, rumo ao Haiti, onde substituirão o contingente que está atuando na missão de paz naquele país, desde dezembro do ano passado. Os soldados serão levados por uma esquadra de cinco navios que percorrerá o litoral brasileiro realizando exercícios de guerra naval. A viagem até a capital haitiana, Porto Príncipe, tem duração prevista de 30 dias. Além dos fuzileiros, 825 soldados da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada de Recife (PE) e 150 militares do corpo de engenharia do Exército também serão enviados, nos próximos dias, ao Haiti, para substituir o cerca de mil homens da força terrestre que também estão naquele país.Segundo o chefe de comunicação da tropa brasileira no Haiti, tenente-coronel Fernando Mattos, a ida dos navios permitirá uma renovação dos equipamentos defeituosos da força de paz do Brasil."A Marinha está enviando um grupo-tarefa com base em dois navios de transporte, um navio de desembarque de carros de combate e um navio de desembarque-doca, que irão transportar material para o Haiti, para que haja uma troca e o material que regressará ao Brasil tenha a devida manutenção", disse Mattos.O Brasil mantém um contingente de 1,2 mil homens no Haiti. Esse número será mantido com essa nova leva que deve chegar ao país no final do mês. Além disso, o Exército brasileiro comanda outros 6 mil homens de países como Chile, Jordânia e Nepal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.