Mísseis de Israel matam cinco; ativista do Hamas escapa

Helicópteros israelenses dispararam dois mísseis contra um carro na Cidade de Gaza nesta quinta-feira, matando cinco pessoas e ferindo mais de 30 pedestres num ataque contra um importante ativista do Hamas. Horas mais tarde, o destino dele ainda era incerto e o grupo islâmico jurou vingar-se de Israel. Um oficial palestino disse que Mohammed Deif, de 37 anos, alvo do ataque israelense, escapou vivo com ferimentos leves.Fontes da polícia israelense informaram que militares disseram a eles que Deif, que durante anos encabeçou a lista dos homens mais procurados de Israel, morreu, apesar de o Exército não se ter pronunciado oficialmente sobre o assunto. O Hamas garante que Dief está vivo.Abdel Aziz Rantisi, porta-voz do grupo, chegou a dizer que Dief não estava no carro. De qualquer forma, segundo ele, o grupo vingará o ataque. "Atacaremos Tel Aviv. Atacaremos todos os lugares."O ataque ocorreu um dia depois de quatro palestinos - inclusive um bebê - e um israelense terem morrido em choques entre os dois lados.Em Ramallah, Israel continuou desobedecendo uma resolução do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e manteve o cerco de militar de uma semana ao quartel-general do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Yasser Arafat."O ataque de hoje é mais um claro exemplo de que o Exército israelense não se importa com a vida de palestinos inocentes", declarou Samieh Mouhsen, da Sociedade Palestina de Defesa dos Direitos Humanos. "Isto constitui uma política de desrespeito ao mais fundamental dos direitos humanos, o direito à vida."Ainda nesta quinta-feira, um civil palestino de 52 anos foi assassinato por soldados israelenses quando abriu a janela de seu quarto durante uma operação militar, denunciou o filho da vítima. O Exército do Estado judeu preferiu não se manifestar sobre o incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.