Mísseis podem chegar à Costa Oeste dos EUA

Os maiores mísseis da Coreia do Norte só aprenderam a voar depois de 2009 - em 2006, um teste do modelo Taepodong foi um fracasso que teria custado a aposentadoria de toda a equipe de especialistas de Pyongyang. Pouco tempo depois, em 2009, o novo ensaio do mesmo tipo surpreendeu as agências ocidentais de inteligência - o míssil funcionou.

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2013 | 02h07

A projeção da trajetória, na prova, levava a crer que poderia atingir entre 6,7 mil e 10 mil quilômetros, com ogivas explosivas de até 1 tonelada. O fator diferencial no programa de desenvolvimento de mísseis seria a contratação de um time de engenheiros e técnicos estrangeiros - ucranianos e chineses, de acordo com um relatório do Conselho Nacional de Inteligência, que reúne 19 organizações americanas de informações e análise estratégica.

O arsenal norte-coreano, montado ao longo de 50 anos, soma perto de mil mísseis e, talvez, 800 foguetes livres. A família do Nodong é a mais confiável. Pode cobrir até 2 mil quilômetros. O grande Taepodong tem dois ou três estágios e pode chegar à Costa Oeste americana ou ao Alasca. Mede 35 metros e 2,2 metros de diâmetro. A mobilização para lançamento pode ser monitorada por satélite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.