AP
AP

Mísseis sírios mataram mais de 140 em Alepo, diz Human Rights Watch

Segundo organização, o Exército disparou pelo menos 4 mísseis balísticos em direção a Alepo

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2013 | 09h22

BEIRUTE, LÍBANO - A organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW) informou que os Exército sírio disparou pelo menos quatro mísseis balísticos na direção da cidade de Alepo na última semana, matando mais de 140 pessoas, dentre elas 70 crianças.

O HRW disse que os ataques do regime do presidente Bashar Assad contra áreas residenciais de Alepo marcam "uma intensificação de ataques ilícitos contra a população civil síria."

Um pesquisador do grupo, sediado nos Estados Unidos, que visitou Alepo na semana passada para inspecionar os locais atacados, disse que até 20 prédios foram destruídos em cada área atingida por um míssil. Não havia sinais de qualquer alvo militar nos bairros residenciais, localizados em regiões tomadas pelos rebeldes, informou o grupo em relatório divulgado nesta terça-feira, 26.

Já o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos informou que confrontos entre rebeldes e forças do governo perto de uma academia de polícia em Alepo nos últimos dois dias resultou na morte de pelo menos 26 rebeldes, 40 soldados e cinco milicianos pró-governo.

De acordo com o grupo, sediado em Londres, os dois lados têm lançado bombas e o governo tem realizado ataques aéreos. A academia de polícia fica na parte leste da cidade, que os rebeldes lutam para controlar.

As informações são da Dow Jones e da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaAlepo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.