Missionários liberados por juiz no Haiti chegam aos EUA

Oito missionários norte-americanos liberados por um magistrado haitiano desembarcaram na madrugada de hoje em Miami. Quase três semanas antes, eles foram acusados de sequestro, por tentar retirar 33 crianças do Haiti após o terremoto do dia 12 de janeiro. O tenente Kenneth Scholz afirmou que um avião da Força Aérea norte-americana pousou com os missionários pouco depois da meia-noite, no Aeroporto Internacional de Miami.

AE-AP, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2010 | 14h04

O juiz haitiano Bernard Saint-Vil decidiu ontem liberar oito dos dez missionários batistas envolvidos na suposta tentativa de sequestro. A decisão foi tomada após o magistrado ouvir os pais dos menores que eles tentaram tirar do país. Aparentemente, os pais disseram que entregaram voluntariamente seus filhos aos missionários.

Saint-Vil disse, porém, que ainda quer interrogar a líder do grupo, Laura Silsby, e outra integrante, Charisa Coulter, sobre uma visita delas ao Haiti em dezembro. Portadora de diabetes, Charisa foi hospitalizada ontem, mas já voltou à prisão.

Os missionários batistas, a maioria proveniente de duas igrejas de Idaho, foram acusados de tentar levar 33 crianças à República Dominicana, em 29 de janeiro, sem a documentação necessária. O incidente ocorreu no momento em que autoridades humanitárias tentavam evitar adoções precipitadas e irregulares após o terremoto. Os detidos afirmaram que sua única intenção era ajudar as crianças em dificuldades e que elas seguiriam para um orfanato na República Dominicana.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotomissionáriosEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.