Mistério cerca queda de avião privado na costa jamaicana

As operações de buscas pelo avião privado norte-americano que caiu na costa da Jamaica na sexta-feira foram retomadas neste sábado. A expectativa é, além de recuperar os destroços da aeronave, resolver o mistério que cerca o acidente. O avião, no qual estava um proeminente casal do norte do Estado de Nova York, voou mais 1.700 milhas depois do último contato com os operadores de voo.

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2014 | 11h13

Até a manhã deste sábado, os destroços do avião pertencente ao incorporador imobiliário Laurence e à sua mulher, Jane - ambos experientes pilotos - ainda não haviam sido encontrados. A aeronave aparentemente caiu no Atlântico a pelo menos 22 quilômetros da cidade costeira jamaicana de

Port Antonio.

O comandante da Guarda Costeira jamaicana Antonette Wemyss-Gorman disse aos jornalistas que a área do Atlântico onde o avião caiu tem profundidades entre 457 e 610 metros. As buscas foram suspensas com o cair da noite de sexta-feira depois de o Exército jamaicano ter informado a descoberta de uma mancha de óleo na área da queda da aeronave.

Um veleiro de 154 pés (47 metros) da Guarda Costeira norte-americana ajudava nas buscas neste sábado. Em comunicado divulgado na sexta-feira, o 7º Comando Central Distrital da Guarda Costeira, em Miami, informou que três pessoas estavam a bordo da aeronave.

O piloto indicou duas vezes que havia problemas e pediu para baixar de altitude antes de receber permissão do controle de tráfego, segundo gravações das conversas de rádio. O contato com o avião foi perdido pouco depois. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAaviãoquedaJamaicacosta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.